domingo, 25 de agosto de 2013

AMOR E SUBMISSÃO



Por Edna Palladino

Gosto do texto bíblico que diz ao homem "ame sua mulher como a si mesmo" e à mulher diz: "respeite seu marido". Comecei pelo fim, mas a narrativa inicia pesado: "o marido é o cabeça da mulher" e "mulheres sejam em tudo submissas ao marido". Parece mais com uma sentença, uma sessão de tortura, dessas que a maioria de nós deseja que não se repita mais.

Esta sensação ruim deve-se ao fato que na cultura passada e até presente,  a família era mantida e protegida pelo homem, este usava de um tipo de autoridade perversa e dominadora. A mulher e os filhos não tinham direitos e nem vós. Foram dias horríveis e ainda hoje existe muita violência na figura do líder da casa.

Mas o que a narrativa bíblica nos dá é totalmente diferente, a lógica é totalmente outra, parece mais uma dança, uma coreografia onde os dançarinos precisam coordenar os passos, e a cada novo ritmo inventar novas coreografias...

O homem é a figura de "autoridade" bondosa, mas firme. A mãe, diante dos desejos dos filhos pequenos ou adolescentes  dirá: "vamos conversar com o papai à noite ou no fim de semana e ver o que ele pensa sobre isso". A última palavra precisará ser da figura de autoridade, pois nossos filhos precisarão na vida adulta compreender que é preciso limites e responsabilizações para lidarem com o ambiente e deverão compreender esta ética dentro da família, da forma mais funcional possível.

Então compreender e respeitar este arranjo da família é submissão, não se trata de estar debaixo dos pés do marido, não ter direito à voz ou submeter-se a qualquer tipo de violência

É a dança do equilíbrio da família, onde marido, esposa e filhos buscam o "ritmo" na inclusão das negociações, compreensões, respeito, perdão, diálogo e aceitação das diferenças.

No entanto, num casamento em que os cônjuges não ocupam o seu papel fica vago o lugar de quem vai ensinar limites, sabemos que na falta do progenitor, a mãe pode ocupar este papel, mas estando ele vivo será imprescindível que esta função seja dele.

Lamentavelmente temos mulheres que não confiam e homens que não assumem esta direção.


Um comentário:

  1. Muito bom..Sra Edna..estive no chá de mulheres,kairos que a senhora esteve pregando..foi abençoado..palavras sábias..Deus abençoe..

    ResponderExcluir